Masculinidade, poder, sofisticação. Embora tenha feito parte da história, há tempos não se via o império das barbas tão em alta como nos dias de hoje. Desde a criação das lâminas de barbear pela Gillette em 1902, o visual limpo manteve-se em alta associado à vaidade e higiene. Na década de 60 as barbas voltaram à moda como forma de confronto pelos hippies, virando sinônimo de protesto e liberdade.  Apenas com a chegada dos metrossexuais nos anos 2000 é que o homem torna-se vaidoso e começa a valorizar e cuidar da aparência, sem culpa. Os cuidados com a beleza de homens e mulheres se igualavam, assim como seus direitos. E só a partir de 208, com a crise financeira mundial e as incertezas econômicas exigindo uma postura do homem com H maiúsculo, que as barbas voltaram ao uso como afirmação de sua masculinidade. Aos poucos as celebridades de Hollywood foram se rendendo e barbas mais generosas foram tomando conta dos tapetes vermelhos. De Brad Pitt a George Clooney, passando pelos bairros mais cool do Brooklyn e Londres, a campanhas publicitárias de marcas de luxo, as barbas foram conquistando e ganhando a confiança e legitimidade de um homem de verdade. Na prática, com certeza contribui para o sex appeal do homem, dando um ar mais forte, maduro, sofisticado e viril. Do ponto de vista estético, ajuda a desfarçar pontos fracos do rosto, enfatizando olhos e boca. Ralas ou encorpadas, o importante é encontrar seu estilo e respeitar seu físico. Apenas exige, sim, manutenção constante, para manter a boa aparência.

IMG_0158.JPG

IMG_0157.JPG

IMG_0156.JPG

IMG_0159.JPG

IMG_0150.JPG

IMG_0152.JPG

IMG_0151.JPG

IMG_0153.JPG

IMG_0155.JPG

IMG_0148.JPG

IMG_0154.JPG

IMG_0165.JPG